terça-feira, 23 de junho de 2009

Comer, rezar, amar

Eu gosto de ler.
Lendo, conseguimos criar mundos próprios, dar vida a pessoas que sequer conhecemos e, ainda, conhecer pessoas que nunca imaginos ser possível conhecer.
Quando começo a ler um livro é como se eu fizesse parte daquele mundo e daquela história. Os personagens se tornam meus amigos e, a vida deles se torna algo importante para mim.
Quando termino de ler um livro e tenho que fechá-lo e guardá-lo juntos aos outros já lido, é como se eu estivesse me despedindo de grandes amigos e de pessoas muito queridas.
Acredito que a magia da leitura está nisso, nesse exato tipo de sentimento.
Hoje, acabei de ler mais um livro, e foi díficil chegar a última frase.

Por se tratar de um livro que narra a aventura vivida por uma mulher comum que, aos 30 anos decide entrar de cabeça em um divórcio e sair em busca de três coisas que considera serem as mais importantes na vida de uma pessoa feliz, foi mais difícil ainda.
Comer, rezar, amar conta a saga de Elizabeth desde o seu difícil divórcio até o encontro que teve com o prazer, a devoção e o equilíbrio.

São quatro meses na Itália e o encontro com o prazer de comer sem culpa. Quatro meses na Índia e o encontro com a devoção, e, principalmente, com Deus. E mais quatro meses na Indonésia e o encontro com o equilíbrio entre prazer e devoção e... Com um amor repentino.

Vale a pena conhecer os caminhos percorridos por essa mulher e o seu enorme desejo de conseguir apenas uma coisa na vida: ser feliz.

6 comentários:

Paulo Medina disse...

História bem legal, principalmente para o público feminino. Gostei do texto, resumido e leve de se ler. Nada complexo. Ah.. a Elizabeth era jornalista neh amor?

Beijos te amo

Fernanda disse...

Anotadíssimo a dica. Sempre te leio.
Interessante que seu post me levou a uma reflexão. Sempre gostei muito de ler livros da igreja (católica). Agora que não me considero mais tão católica assim, estou pensando se gosto mesmo de ler livros, ou se era só por causa da igreja. =/ Bolei.

abs,

Flor de Luna disse...

ótima dica!!!!

Quantos dançaram com ela? disse...

é sempre tão bom ler.
e quando o livro acaba parece mesmo uma despedida.

vou procurar esse livro!
acabei de a menina que roubava livros.

já leu?

beijoos.

Anônimo disse...

Oiiii, estou eu aqui de novo...fazendo uma coisa que não tenho costume, mas gostei muito do seu blog e voce escreve muito bem né Gaby.

Sabe que quando leio os livros me sinto assim como voce. Entro literalmente dentro dele e dedico aquele tempo somente a ele. Conhecendo pessoas que nao conheço, vivendo lugares nunca imaginados e acima de tudo, aprendendo com as experiencias dos personagens.
Muito dez.

Grande bjo.
Rozana Palma

Thiago Gomes Rodrigues disse...

Recomendo o Beber, Jogar, F#der, uma versão masculina do livro!!! Engraçadíssimo por sinal!!!