quinta-feira, 18 de junho de 2009

Ainda vão conseguir o que querem...

Quando ouvia as pessoas dizerem que o Brasil é um país que tem tudo para ser uma potência mundial, um país rico em solos, um país rico em solidariedade e um país que está em constante crescimento, sentia orgulho por fazer parte de tudo isso, orgulho por ser brasileira.
Porém, uma decisão tomada pelas pessoas que se dizem superiores, administradores de nação, homens do poder, ou Supremo Tribunal Federal (STF), me fez sentir vergonha por fazer parte de tudo isso, vergonha por ser brasileira.

O jornalismo é uma profissão que é tida como o quarto poder do mundo, pois, pode através de matérias, reportagens, pesquisas e denúncias, acaba com corrupções e injustiças que são cometidas com o povo. É uma profissão exercida por pessoas que ainda acreditam em um mundo melhor, que lutam por isso. É algo que se faz por paixão, por ter o "bichinho do jornalismo" correndo nas veias.
Para ser jornalista é preciso muito mais que saber escrever, conhecer a norma culta de uma língua ou ter um bom texto. É preciso dedicação, esforço, interesse, entrega total a uma coisa que só se faz porque se acredita que vale a pena lutar por isso.

Quando escolhi estudar jornalismo, escolhi me entregar a coisas que acredito serem possíveis, e, principalmente, porque acredito que eu posso fazer a diferença, ou pelo menos tentar. Escolhi estudar jornalismo não por acreditar ser legal aparecer na televisão quando preciso para poder dar uma notícia, mas por saber que aquela notícia, naquele meio de divulgação, pode mudar a vida de milhares de pessoas para melhor. Escolhi jornalismo porque acredito ser uma forma de deixar o mundo, e, principalmente o meu país, um lugar mais justo para as gerações futuras. Escolhi jornalismo não por achar que escrevo bem ou por gostar de estudar português, mas sim por acreditar que os meus textos, as minhas palavras, as minhas visões sobre determinados assuntos e todo o desgaste que terei para expor algo na mídia, valem a pena.

A não obrigatoriedade do diploma para poder exercer uma profissão como essa implica em muito mais coisa do que apenas não mais infringir (como dizem nossos ministros) a lei de liberdade e expressão, que é um direito de todos. Não se trata de apenas escrever textos e apresentá-los a cargos superiores. É muito mais que isso. É adquirir, durante um curso superior, uma bagagem para que se possa expor e saber discutir sobre diferentes tópicos. São termos, jeitos, maneiras de escapar de uma situação que te coloque em uma "sinuca de bico" que alguém só pode aprender estudando, e muito.
Quem estuda jornalismo porque gosta deve estar no mínimo se sentindo como eu, chateada por saber que qualquer pessoa que escreva bem pode fazer o que eu tanto almejo e me esforço para fazer com maestria um dia.

O Brasil é um país que precisa de jornalistas competentes, capazes e que tenham coragem de "meter a cara" e denunciar tudo que acontece de errado nesse território. O Brasil precisa de pessoas que lutem pelos seus direitos, e, isso inclui, o direito a informação de qualidade. O Brasil precisa de pessoas que saibam o que acontece nos seus bastidores, para que só assim, consiga ser um país que apenas irá progredir com o tempo, e não se tornar alvo de crapúlas que acreditam que banindo a informação e a transformando em um poço de lixo produzido por pessoas sem estudos irão conseguir dominar não só o país, mas a sociedade num todo.

3 comentários:

Nanda disse...

TAMBÉM SOU QUASE JORNALISTA. E ESTOU MUITO CHATEADA.
COLOQUEI SEU MARAVILHOS TEXTO NO MEU BLOG. OK?
ABRAÇAO.

medina disse...

Disse tudo Gaby, se nossos ministros não pensam, o povo tem todo o direito de fazer igual. Mas se os ministros (que se rotulam como os grandes intelectuais da nação)não tomam decisões corretas para a progressão do país, o qu será deste povo tão "ingênuo" ?

Gaby Paschoal disse...

Nanda, obrigada! Também já add os seus - que são ÓTIMOS - nos meus.
O que não podemos agora, é ficar de braços cruzados, não é!? A decisão foi tomada, vamos correr atrás!

*

Medina... Ahh, Medina... É isso aí! Obrigada pelo comentário, depois te retribuo! ;)

Beijos gente!